De que maneira a comunicação de massa é utilizada para reforçar preconceitos? E a quem a difusão desses preconceitos favorece?

A palavra preconceito é composta a partir dos derivados de PRE, “antes”, e CONCEPTUS, “resumo”, do Latim – inicialmente algo preparado ou concebido, de CONCIPERE, “conceber, engravidar” – a palavra parece ter sido construída dentro da própria língua portuguesa. O preconceito é um juízo de valor criado sem razão objetiva e que se manifesta por meio da intolerância. Geralmente ele envolve o rechaço à condição social, nacionalidade, orientação sexual, etnia, maneira de falar ou de se vestir de um indivíduo ou grupo social.
O preconceito surge por meio do julgamento nocivo que se faz sobre as diferenças entre as pessoas. Este ato resultante da ignorância acompanha a humanidade desde a sua concepção.
Sedento por poder, o homem é impulsionado a se mostrar superior perante outros, introduzindo impetuosamente sua cultura, ideologia e concepções sobre indivíduos, povos ou nações considerados menores.
Antes de se estabelecer um conceito de comunicação como conhecemos hoje, essas imposições eram realizadas através da força, utilizando na maioria das vezes o poder dos grandes exércitos. Assim como fizeram os Romanos quando venceram a Primeira Guerra Púnica, conquistando e dominando a Sicília.
Nossa história está repleta de guerras, todas impulsionadas pela sede de poder naturalmente introduzida pela natureza em qualquer pessoa. Porém, com a evolução espontânea em todas as áreas do conhecimento, e principalmente da comunicação através dos estudos filosóficos e sociológicos, as técnicas de imposição sociocultural evoluíram para um novo patamar. Podemos dizer também, que a invenção da prensa por Gutemberg em 1447, deu início a uma nova era no processo de comunicação. Gutemberg se tornava naquele momento o responsável indireto pelo inicio da comunicação de massa.
A comunicação de massa tem como principal característica o fato de chegar a uma grande quantidade de receptores ao mesmo tempo, partindo de um único emissor. Esse tipo de comunicação, foi o grande objeto de estudos dos principais pensadores da Escola de Frankfurt, Max Horkheimer e Theodor Adorno, os quais discutiam a influência dos meios de comunicação de massa, como o rádio, sobre uma sociedade.
A cultura de massa é o que mais interessa aos comunicadores, sua mensagem é pública, rápida e transitória e sua audiência é heterogênea, anônima e gigantesca. Segundo Theodor Adorno, a mídia não se volta apenas para suprir as horas de lazer ou dar informações aos seus ouvintes ou espectadores, mas faz parte do que ele chamou de indústria cultural. Esse tipo de comunicação tem influência direta na cultura de um povo, é através dela que a mídia insere gostos musicais, maneiras de se vestir e principalmente de pensar determinados assuntos.
O preconceito é um ponto sempre observado nos meios de comunicação de massa no mundo contemporâneo, assim como em qualquer época desde o surgimento do jornal, que é considerado o primeiro meio de comunicação de massa utilizado pela humanidade.
Os meios de comunicação propagam o preconceito por meio de inúmeras formas, uma das mais explícitas é a seleção racial. Por muito tempo, eram raros apresentadores negros na televisão brasileira por exemplo. O chamado “padrão de beleza” feminino com mulheres sempre magras, e a exclusão dos gordinhos dos ambientes da moda, é outro exemplo marcante do quanto o preconceito, foi e é propagado dentro das casas das pessoas. E isso se estende para outras áreas.
A publicidade é um mundo cheio de estereótipos, onde reforça de forma subliminar o desprezo a quem foge dos padrões determinados por ela, impondo também o preconceito dentro desse contexto, mesmo que de forma subliminar e bastante sutil.
A exposição do mais fraco, do diferente, do incompreendido é a forma mais agressiva de preconceito que pode existir.
O retrato natural da sociedade moderna, é a massa como massa, pessoas que não notam que vivem dentro de um mundo onde seus desejos são determinados por essa minoria dominadora, que impõe em todas as áreas suas diretrizes. E a massa, segue esses passos, como uma boiada segue o vaqueiro.
Em resumo, a comunicação de massa é o objeto principal da minoria de “soberanos” da sociedade, para impor a grande maioria da população o caminho ao qual devem seguir. Assim como os romanos, que utilizava seu forte exercito para conquistar outros povos, essa minoria utiliza a comunicação de massa como um exercito psicológico e intelectual, porém, mais forte e cruel que qualquer outro.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s